O bicho homem, dinheiro e sua felicidade

Infelizmente, hoje em dia, a felicidade do “bicho homem” é denifina por um pedaço de papel, onde, fazendo uma analogia com uma letra de música baiana, diz-se: “sem dinheiro eu fico triste, com dinheiro eu fico alegre”.

Há muito tempo, pode-se dizer, desde o início da era industrial, o homem passou a esquecer seus valores e objetivos como ser humano e passou a viver em busca de uma única coisa chamada “dinheiro”, onde este tem sido o centro do universo para o “bicho homem”.

O que aconteceu com a felicidade pelo simples fato de ser feliz? Não me lembro da última vez que ouvi alguém dizer que estava feliz apesar das adversidades. Estamos todos sempre correndo, sem tempo para nada, nos alimentando mau, sem dar atenção aos filhos, simplemente porque a mídia/moda dita nossas vidas e precisamos cada vez mais de mais dinheiro para consumir mais e conquistarmos nossa felicidade momentânea pela aquisição de um bem material.

Este pedaço de papel colorido, um mau necessário, serve simplesmente, para dar possibilidades de conquistar coisas essenciais para a vida, lazer e sobrevivência, nada mais. Liberdade? Felicidade? Isso o dinheiro não pode dar, pode proporcionar mais.

Dinheiro na verdade só evidencia a pessoa que você já é. Se é feliz, será mais, se é caridoso e humilde, ajudará mais pessoas a conquistar o que elas querem e a mudar de vida. Se é solitário, mau caráter, isto também será evidenciado. É incrível como algumas pessoas mudam diante deste artefacto indipensável nos dias de hoje. Precisamos, antes de qualquer coisa, estar feliz com nós mesmos, sermos livres com nós mesmos.

Às vezes, diante de uma “oportunidade”, somos induzidos a querer mais. Mas será que as atitudes que tomará com esta nova oportunidade está deixando-o mais feliz? Ou é apenas uma felicidade momentânea, onde ao acordar percebe que tudo está como no dia anterior? Como diria um grande e sábio amigo: “Escute seu coração diante de todas as situações decisivas em sua vida, e se você não se sentir bem com o que está sentindo ao escutá-lo, não o faça! Assim será mais feliz e estará em paz consigo mesmo!”. Realmente, sábias palavras.

Fico quase em estado de choque quando penso que a palavra “riqueza” há muito tempo deixou de ser sinônimo de saúde, familía, amigos, elevação espiritual, pequenos momentos ou gestos e passou a ser uma palavra relacionada exclusivamente para dinheiro.

O que vem em seus pensamentos quando te perguntam: “Você quer ser/ficar rico?”, se você pensou em dinheiro ou riqueza material, CUIDADO, você pode estar esquecendo dos seus valores como ser humano, e está fadado a entrar numa corrida de ratos para pagar contas, carnês e prestações, dedicanto seu bem mais valioso (tempo) por uma coisa que no final das contas quando você se perguntar “Será que valeu à pena?”, poderá se arrepender e querer ter feito tudo diferente.

A vida é curta, e foi criada pra ser vivida, não para ser sofrida. Quando jovens, achamos que temos todo o tempo do mundo, porém, para morrer basta estar vivo. Então, viva cada momento como se fosse o último e faça de cada momento, um momento inesquecível, seja feliz, seja livre, corra atrás dos seus sonhos sem passar por cima de seus valores. Dinheiro, no final das contas, é consequencia da pessoa que você já é, ou virá a se tornar, e das atitudes positivas que toma ao longo de sua jornada chamada “vida”.

Carpe Diem! (Aproveite o dia!)

Anúncios